Ângelo Beck

A Páscoa mais misteriosa de Gustavo

Postado em 25 de Maio de 2018

Olá Gustavo,

Na verdade eu não te conheço tanto quanto eu gostaria. Mas te conheço o suficiente para saber que tu não acreditas em mim - o Coelho da Páscoa. Também te conheço o suficiente para saber onde esconder o teu ovo.

Se fosse verdade que eu não existisse, como é que eu poderia ter te escrito esta cartinha?

Sei que tu és muito inteligente, e deves estar pensando: "Alguém (humano) escreveu esta carta ridícula, como se eu fosse acreditar que é o Coelho da Páscoa que está escrevendo.

Talvez, em parte, tu tenhas razão. Coelhos não costumam escrever cartas no computador. Mas então porque alguém teria te deixado um ovo de páscoa escondido e te escrito uma carta sem dizer seu verdadeiro nome?

Sabe, Gustavo, quando a gente deixa de ser criança, percebe que nem tudo é mágico como a gente acreditava. Isto acontece com todo mundo, mais cedo ou mais tarde.

A verdade é que nós não somos perfeitos como gostaríamos. Não somos super-heróis, e nem sempre somos pessoas legais umas com as outras.

Mas existe um segredo, e é sobre este segredo que eu quero te contar. É por causa deste segredo que eu escrevi esta carta, e é por causa deste segredo que eu escondi este ovo.

O segredo é Deus. E Deus é um segredo.

Porquê?

Porquê ninguém pode vê-lo nem tocá-lo. Apenas acreditamos que Ele existe.

Sei que é ridículo acreditar em uma coisa que não pode ser vista nem tocada. É como acreditar no Papai-Noel ou no Coelho da Páscoa, não é mesmo?

Mas tem uma coisa que surge no nosso coração que nos faz acreditar que Deus existe: é o sentimento de amor.

Sabe, é bem raro a gente sentir amor no coração. Mas, quando o amor bate para valer, sentimos como se uma enorme cachoeira brotasse do nosso peito. Dá uma vontade de abraçar todo mundo.

Quando isto acontece, percebemos que todos nós somos irmãos uns dos outros, e então fica claro que a fonte deste amor só pode ser Deus, Pai de todos nós.

Quando a gente ama, dá vontade de dar presentes uns para os outros, e dar ovos de chocolate também.

Mas aí surge um grande problema: É que todo este amor vem de Deus, e não de mim mesmo. Quando eu amo, ao mesmo tempo é Deus que ama através do meu coração.

Eu quero te fazer feliz. Mas, se o amor que eu quero te dar vem realmente de Deus, então eu não posso te dizer quem eu sou. Isto te faria achar que sou eu que estou te amando, enquanto na verdade é Deus que jorra o amor do meu coração para ti.

Então, se eu quero que sintas que eu te amo, mas não posso te revelar quem eu sou, como poderia te demonstrar o meu amor?

Talvez eu pudesse te dar um presente que te agrade, dizendo que foi o Papai-Noel ou o Coelho da Páscoa que to enviou!

Então chames como quiseres. Hoje eu sou o Coelho da Páscoa, no Natal serei o Papai-Noel... E, ao mesmo tempo, não sou nenhum deles. Eu só quero te entregar um pouco da Felicidade do Deus Pai, e por isto não te revelarei o meu nome.

Se quiseres insistir que Papai-Noel ou o Coelho da Páscoa não existem, o problema é teu, porque, de qualquer forma, nunca descobrirás quem eu sou. Porque a verdade é que eu não queria ser eu. O que eu queria era ser o próprio Deus Pai para te dar tanto amor quanto só Ele pode dar.

Nem adianta perguntares para teu pai ou para tua mãe, nem para teus tios ou para teus avós, porque eles também não sabem quem eu sou - e te garanto que não sou nenhum deles. :-)

Se tu tiveres entendido tudo até aqui, podes então pensar que um dia tu também tenhas um ou dois filhos, e tu poderás abrir o teu coração para eles. E quando abrires o teu coração, sentirás o amor de Deus a jorrar pelo teu peito. Então darás presentes aos teus filhos e ovos de chocolate, e verás como eles ficarão felizes. Então, dirás a eles que foi o Papai-Noel e o Coelho da páscoa que os enviaram.

Até que chegará o dia em que teus filhos não irão mais acreditar nestas coisas... Então conte a verdade para eles: conte "a verdadeira história do coelhinho da páscoa". Se eles forem inteligentes como tu, certamente entenderão.

Então, se tu entendestes tudo mesmo, eu queria te pedir um grande favor. Agora que sabes a verdade, ajude as pessoas grandes a demonstrar o amor de Deus para as crianças: não diga a elas que o Coelhinho da Páscoa e o Papai-Noel não existem.

E, se fores esperto mesmo, nem diga aos adultos que Papai-Noel ou Coelho da Páscoa não existem. Finja que existem, e você perceberá que os adultos só fazem isto porque talvez esta seja a forma mais mágica e maravilhosa de amarmos uns aos outros!

E, por fim, se tu tiveres entendido tudo, mas tudinho mesmo, então já não tem problema tu descobrires quem eu sou, não é mesmo?

Mas como bom coelho da páscoa, não to revelarei quem sou sem que tenhas que me procurar!

E só vou te dar uma única pista: eu publiquei esta carta na minha página pessoal. Talvez leve alguns dias para que o Google entre no meu site e indexe este texto, por isto, talvez não me encontres assim tão depressa. Mas, quando descobrires quem eu sou, quero que me dês um abraço e me chame de "Coelhinho da Páscoa", este será o nosso código secreto!

247 Visualizações

Menu do Ecolabore Portal